Gmail Passo a Passo

Neste Post anexei um tutorial que fala um pouco sobre o gmail e ensina a usuários a criar contas do gmail e utilizar seus recursos (O que para “poucos” é simples “muitos” acabam complicado). O mais interessante é que a fonte fica num blog hospedado no yahoo.com.

Embora o Google não divulgue o número de usuários, fala-se por aí em mais de 50 milhões de contas do GMail. Se você ainda não tem uma conta do GMail, confira abaixo um passo-a-passo para começar a usar um dos mais populares webmails do mercado.

Maior dificuldade é encontrar um nome livre

O primeiro passo é criar o login que você deseja. Nem sempre é possível encontrá-lo facilmente, já que todos os nomes e sobrenomes comuns já foram tomados. Experinente combinações de iniciais, nomes seguidos do ano de nascimento e coisas assim e vá clicando em “Verificar Disponibilidade” até encontrar uma identificação disponível. Pontos podem ser usados, mas não diferenciam uma conta da outra. Assim, se já existe um zedasilva, não será possível criar um ze.da.silva.

Em seguida, devemos escolher uma senha e, como de costume, digitá-la duas vezes para confirmar. Ao lado do campo da senha, o serviço informa a “força” da seqüência escolhida. Um clique sobre “Força da senha” exibe as dicas do Google para criar códigos mais difíceis de serem quebrados. Não vamos repeti-las aqui, mas recomendamos a leitura e o uso em todas as suas senhas daqui para frente.

Voltando à tela de cadastro, devemos, agora, escolher uma pergunta de segurança, para o caso de esquecermos a senha, e digitar a resposta. Em seguida, temos a opção de fornecer um e-mail secundário, também para o caso de esquermos a senha. Depois, basta confirmar o nosso país, digitar a seqüência de caracteres que impede o acesso de ferramentas de cadastro automático e aceitar os termos de serviço.

A próxima tela dá os parabéns pela criação da conta e lista as principais diferenças do Gmail para os e-mails tradicionais: o já citado espaço virtualmente ilimitado, que torna desencessário apagar e-mails antigos; a excelente ferramenta de busca (estamos falando do Google, afinal) que ajuda a encontrar mensagens enterradas sob tantos e-mails; e a organização em “conversas”, sobre a qual falaremos adiante.

Caixinha de surpresas

Para acessar o Gmail, basta digitar “mail.google.com” ou, simplesmente, “gmail.com” no seu navegador. Uma curiosidade: segundo a Wikipedia, antes de ser comprado pelo Google este endereço abrigava o serviço de e-mail oficial do site do gato Garfield. A tela de boas vindas fala novamente dos recursos do serviço e conta algumas novidades. Mas tudo o que queremos agora é digitar nosso login e senha.

Na tela principal do Gmail, por enquanto, temos uma única mensagem. Automática, da equipe do site. É um bom momento para explorar a interface antes que dezenas de e-mails comecem a disputar sua atenção. Logo no alto, vemos o famoso campo de busca, ladeado por botões para pesquisar nos e-mails ou na Internet e links para as opções de pesquisa e criação de filtros (assunto para mais tarde).

Imediatamente abaixo, temos o link para escrever um e-mail e o menu do que seria o equivalente às pastas dos programas de e-mail tradicionais. Com a diferença de não ser possível criar pastas além destas, pois no Gmail elas não são necessárias. Reparou que a caixa de entrada está destacada em azul? É porque ela está aberta, exibindo seu conteúdo, também numa caixa azul, à direita.

A primeira linha desta caixa azul parece um anúncio, mas não é. É uma notícia recebida, da Isto É Dinheiro, neste caso, via RSS. Não sabe o que é RSS? É um padrão de distribuição de conteúdo que nos permite “assinar” notícias de nossos sites favoritos (leia o tutorial sobre RSS). O melhor é que você pode configurar as fontes destas notícias, clicando no botão “Personalizar”, na extrema direita desta linha. Para navegar entre as notícias, clique nas setas à esquerda do botão.

Logo abaixo, temos o botão “Arquivar”, de que falaremos daqui a pouco, um botão para denunciar spam e outro para apagar uma mensagem, além de uma caixa de “Ações” que permite, entre outras coisas, marcar mensagens como lidas ou não lidas. Por fim, o link “Atualizar”, para ver se chegou alguma nova mensagem desde a última carga da página, e, na extrema direita, o número de mensagens na pasta junto com, quando necessário, os links para mudar para as páginas anteriores.

Sob estes botões, temos uma seqüência de links para selecionar mensagens (o equivalente a marcar os quadradinhos à esquerda delas) de acordo com vários critérios. Para usar os botões que mencionamos no parágrafo anterior, é necessário selecionar as mensagens antes. Ao lado de cada mensagem, temos, também, uma estrela de contorno azul que, ao ser clicada, marca o e-mail em questão como “favorito”

Imagens sob controle. Publicidade, não

Vamos, agora, a uma página de mensagem propriamente dita? Usamos o recurso “Enviar para um amigo” aqui do Wnews para fazer chegar um e-mail em nossa nova caixa postal. Repare que, por padrão, o Gmail não exibe as imagens da mensagem. Mas é só clicar em “Exibir imagens abaixo” ou “Sempre exibir imagens deste remetente”, dentro da área verde, para ver o e-mail completo.

Na tela de mensagem também é possível observar um dos pontos mais polêmicos do Gmail: os links patrocinados. Este tipo de publicidade, popularizada pelo Google e hoje presente na maioria dos sites comerciais, dá mais resultado quando apresenta anúncios relacionados ao conteúdo da página – neste caso, do seu e-mail. Sim, o Google “lê” (automaticamente, sem interferência humana) as suas mensagens para mostrar anúncios que possam lhe interessar.

Abaixo do corpo de uma mensagem, temos links para responder ou encaminhar o e-mail em questão, além de um para convidar o remetente para o Gmail. Mas, para escrever uma resposta, nem é preciso clicar em “Responder”: basta começar a digitar o texto no campo abaixo que o programa automaticamente entrará no modo de edição, com botões de enviar, salvar e descartar, campo de destinatários, links para enviar cópias (Cc) e cópias ocultas (Cco), editar o assunto e anexar arquivos, além de diversas opções de formatação de texto e um corretor ortográfico.

O tal botão “salvar agora” é parte de uma das grandes vantagens do Gmail. Como qualquer um que tenha usado muito algum sistema de webmail sabe, a pior coisa de se escrever muitos e-mails em serviços online é quando algo dá errado no meio e você perde tudo o que já tinha digitado. Pois o Gmail salva automaticamente o seu trabalho a cada minuto (aproximadamente) e ainda permite que cliquemos neste botão para salvar imediatamente. Se o navegador se fechar acidentalmente ou sua conexão cair, a mensagem ficará guardada na pasta de rascunhos.

Conversas e marcadores fazem diferença

De volta à caixa de entrada, repare que agora temos algumas mensagens novas na lista. Apesar de só vermos quatro linhas, temos seis e-mails, no total. É que três deles – aquele primeiro que recebemos do WNews, a resposta que escrevemos e a “tréplica” do amigo que enviara a mensagem original – estão agrupados em uma “conversa”, outra das grandes diferenças do Gmail para os sistemas de e-mail mais comuns. O número “3” entre parênteses indica o número de mensagens na conversa.

Ao clicar nesta “conversa”, vamos para a tela de mensagem, que agora mostra os cabeçalhos dos e-mails “empilhados”, na ordem em que foram enviados e recebidos. Clicando em qualquer um desses cabeçalhos, abrimos o conteúdo da mensagem em questão, sem perder o contexto da conversa. Isso é prático também porque quando apagamos ou arquivamos uma conversa, o fazemos para todos os e-mails de uma vez, sem precisar cuidar de um por um.

Por falar em arquivar, o GMail lida com isso por meio de “tags”, que na versão em português viraram “marcadores”. Assim, em vez de mover uma mensagem para uma pasta chamada “amigos” (que nem existe no GMail), por exemplo, você atribui o marcador “amigos” a ela. Isso permite, entre outras coisas, que se classifique uma mensagem em várias categorias sem precisar replicá-la.

Para criar um marcador, clicamos em “Editar Marcadores” na caixa da coluna esquerda, entre os “Contatos Rápidos” e o “Convide um amigo”. Basta digitar o nome do marcador e mandar criar. Daí em diante, sempre que selecionarmos uma ou mais mensagens e abrirmos a caixa de “Mais Ações”, teremos aquele marcador como uma das opções.

Depois de classificadas, as “conversas” passam a exibir o nome do marcador em verde, à esquerda do assunto, e torna-se possível exibir apenas as mensagens assinaladas com um determinado marcador, clicando sobre ele na caixa de marcadores à esquerda. Agora é seguro mandar arquivar estas mensagens para que sumam da caixa de entrada, pois elas serão facilmente encontradas pela busca ou pelos marcadores.

Fonte: Br.Tecnologia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: